Barreiras invisíveis

5 de julho de 2018
Tudo que nos é realmente importante não se pode tocar, não se tange ou se vê. O amor, a compaixão, a camaradagem, a política e até a angústia são bons exemplos do que eu digo.
Ao ensinar fotografia por tantos anos percebi que muitos sonham em fazer um curso, em se profissionalizar ou apenas ter na fotografia um hobby. Tantos que se transformam em poucos alunos nos cursos. E por que tantas pessoas abandonam seus sonhos? Almejam saber algo mas dispensam o caminho até este saber. Por que?

A minha experiência tem mostrado que algo muito importante prende as pessoas dentro de um cotidiano sufocante. Uma mesmice, um moto contínuo alimentado pelo cotidiano de pagar contas, trabalhar, correr buscar os filhos na escola, cuidar da família e "se descuidar de si". Pois dentro desta equação há pouco espaço para se pensar, se refletir, se liberar de obrigações que poderiam ser divididas ou colocadas em outra escala de prioridades. A invisível angústia toma conta deste ser-humano. Prende-o ao cotidiano e coloca qualquer sonho pessoal na última linha de suas prioridades e, assim, a fotografia se torna uma frase solta em alguma conversa de bar; – Ah, sempre desejei aprender fotografia!. Ouvi isso mais vezes que ouvi meu próprio nome.

A invisível angústia ata nossas asas. E a educação, importante nos reinos da invisibilidade, torna-se o sonho nunca concretizado. É preciso mudar isso! Quebrar a corrente que faz do indivíduo um ser do cotidiano. Que o prende ao banco, ao colégio do filho, ao seu carro, Tv ou futebol. E como fazer isso?

Primeiro é buscar coragem de abrir mão de algo que esteja em sua vida e que não represente sua vontade de estar neste mundo. Algo que não agrega e que consome tempo. Uma atividade que está fora da curva de seus desejos e que o deixe mal-humorado, cansado, desgastado ou apenas inerte. Tempo é o nosso principal ativo e deve ser administrado com muito cuidado. 

Dê uma chance ao seu sonho pois garanto que sonhos devem se tornar realidade e não morrerem em frases de boteco. Quer aprender fotografia? Elimine suas barreiras invisíveis antes que você desaprenda a voar.

POSTS RELACIONADOS